Resultado falso positivo para Aids preocupa quem se vacinou contra gripe suína

Belo-horizontinos que foram se vacinar contra a gripe suína, reagiram com surpresa e susto à divulgação do Ministério da Saúde (MS) de que as pessoas imunizadas podem ter resultado falso positivo para o HIV, mesmo sem ter o vírus que provoca a Aids. “Se eu soubesse, não teria vindo”, disse o consultor de vendas Tiago Mattioli, de 25 anos, que enfrentou a longa fila para receber a agulhada num posto volante montado pela Secretaria Municipal de Saúde numa drogaria na Avenida Padre Pedro Pinto, em Venda Nova. O jovem disse que deixou para a última hora “por falta de oportunidade”.

Ao receber a agulhada, a auxiliar administrativa Lívia Vieira Louro, de 25 anos, preferiu manter a calma. “Não tem perigo não, do contrário o governo não teria feito tanta campanha para que as pessoas se vacinassem”.

A divulgação pelo MS ocorreu na reta final da campanha, quando cerca de 61 milhões de pessoas estão imunizadas contra a gripe suína. No início do mês, as autoridades distribuíram nota técnica aos profissionais de saúde informando que todos deveriam estar atentos à alteração no exame. Na sexta-feira, o Ministério esclareceu que não há razão para pânico e recomendou que aqueles que se vacinaram devem esperar até 112 dias, depois da vacinação, para se submeter a testes do HIV.
De acordo com a nota técnica, devido à forma acelerada de produção industrial da vacina contra o vírus da influenza A (H1N1), com o uso de novas tecnologias de produção e adjuvantes, não há no momento dados disponíveis sobre todos os efeitos adversos, mas “foi observado que pessoas que tomaram a vacina, ao fazer o teste de HIV-1 apresentaram resultado falso positivo”, ou seja, os resultados indicam que o vírus está presente, quando, na verdade, não está.

Fonte: Portal Uai