Boa Vista (RR) divulga dados sobre o perfil e tendências HIV/AIDS

A equipe do Programa Municipal DST/Aids concluiu esta semana o levantamento preliminar dos índices das doenças sexualmente transmissíveis diagnosticadas na população de Boa Vista (Roraima), em 2009. O material compõe a atualização do perfil e tendências do HIV/Aids que será encaminhado ao Ministério da Saúde.

O documento também servirá para o planejamento das estratégias de promoção da saúde e controle das DST/ Aids que serão desenvolvidas pela Prefeitura em 2010. A coleta de dados para a elaboração do documento refere-se ao período de 1989 à 2009.

A coordenadora do Programa Municipal DST/Aids, Jacqueline Voltolini, destacou que os índices do HIV/Aids em Boa Vista são preocupantes e que as ações em 2010 serão direcionadas para atender a públicos específicos, onde o índice da doença aumentou.

“Verificamos um aumento dos índices do HIV/Aids em públicos mais específicos como os casais heterossexuais, a população jovem com idade entre 15 e 39 anos, indígenas e também entre os idosos. Por isso, já estamos trabalhando no planejamento das ações estratégicas de saúde para atender a estes públicos, orientando-os sobre as práticas sexuais saudáveis”, afirmou Jacqueline.

A coordenadora também destacou o aumento de casos da doença entre o público analfabeto e as pessoas com nível superior. “Essa situação é preocupante por termos dois perfil populacionais muito diferentes. Em relação aos analfabetos, podemos dizer que são pessoas com pouco acesso à informação e talvez, até aos serviços de saúde. Mas, em relação às pessoas com nível superior, a preocupação é o fato de que eles supostamente detêm bastante conhecimento, mas não estão mantendo relações sexuais seguras”, disse.

Jacqueline destacou que a maneira mais eficiente de evitar a proliferação das DST’s é usar o preservativo em todas as relações sexuais. Segundo a coordenadora, essa orientação também vale para os casais que mantém relações estáveis.

“Todos estão sujeitos ao contágio pelas DST’s e também pelo HIV. Por isso, a maneira mais eficaz de se proteger e de cuidar do seu parceiro é usando o preservativo, de maneira correta em todas as relações sexuais”, afirmou.

Dados
Segundo o documento, Boa Vista apresenta 733 casos acumulados de DST/Aids, no período de 1989 a 2009, sendo que Boa Vista é o município de maior número de registros de casos no estado de Roraima.

Desse total, 713 casos, ou seja, 97,3% ocorreram em adultos e 20 casos em crianças, sendo 2,7%, com idade inferior a 13 anos, no período de análises entre os anos de 1989 a 2009.

O estudo aponta que o maior número de casos em números absolutos concentra-se na faixa etária de 20 a 34 anos com 351 pessoas infectadas (47,9%), seguido de 278 casos (37,9%) entre 35 e 49 anos.

Jacqueline explicou que estes dados são de grande relevância considerando a atividade profissional produtiva dos indivíduos e o período de sobrevida após a infecção que é em média de 25 anos.

“Considerando que a infecção leva em média cinco a dez anos para se manifestar, podemos considerar que os indivíduos viveram situações de risco durante a adolescência e início da juventude, ou seja, a partir dos 15 anos”, disse.

Apesar de a maioria dos casos de AIDS estarem notificados na faixa etária de 20 a 49 anos, percebe-se ao longo da série histórica, aumento de casos em indivíduos com mais de 60 anos. É preocupante também o percentual de aumento, com 300%, do número de casos de AIDS na faixa de 10 a 14 anos e de 133% acima de 65 anos.

O sexo masculino concentra 491 casos de AIDS do total de 733 casos, isso representa uma proporção 66%. Mas, segundo o levantamento, está ocorrendo em Boa Vista o processo chamado de feminilização do HIV, que representa a diminuição da diferença de infecção do HIV entre a população de sexo masculino e feminino.

O seguimento populacional constituído dos homens heterossexuais, homossexuais e bissexuais foi o grupo que mais se infectou, totalizando 510 casos (69.6%). Quanto à transmissão sanguínea, foram notificados 38 casos, sendo 33 por uso de drogas, correspondendo a 86%, com predomínio da faixa etária 20 a 34 anos (74,4).

Em relação à mortalidade, verifica-se a ocorrência de 254 óbitos acumulados, uma média de 11,9 óbitos por ano, destes óbitos 177 foram no sexo masculino e 77 sexo feminino, sendo que 59% ocorreram na faixa etária de 30 a 49 anos, seguido de 28% na faixa etária de 15 a 29 anos.

Fonte: BV NEWS

(Visited 2 times, 1 visits today)